Terapia Comportamental Integrativa para Casais: Uma Abordagem Eficaz para Relacionamentos Satisfatórios

Os relacionamentos podem ser desafiadores e enfrentar obstáculos que podem desgastar a relação ao longo do tempo. A Terapia Comportamental Integrativa para Casais (IBCT) é uma abordagem inovadora que visa não apenas resolver problemas imediatos, mas também promover um entendimento mais profundo das diferenças e uma conexão mais forte entre os parceiros a partir da possibilidade de interações mais positivas e satisfatórias.

O que é a Terapia Comportamental Integrativa para Casais?

A IBCT é uma abordagem inovadora para a terapia de casais, desenvolvida na década de 1990, desenvolvida por Christensen e Jacobson. Esta abordagem terapêutica foi baseada em parte na Terapia Cognitiva Comportamental para Casais (TCCC), nas Terapias Contextuais e no Mindfulness, o objetivo básico da IBCT é promover a aceitação do outro e de suas diferenças.  Assim, em vez de tentar eliminar os conflitos antigos, a IBCT busca ajudar os casais a desenvolver uma nova compreensão das suas diferenças aparentemente irreconciliáveis e usá-las para promover a intimidade, a empatia e a compaixão um pelo outro. O termo ‘integrativa’ sugere uma integração entre a mudança necessária e a aceitação do que não se pode mudar. Não se refere à resignação ou submissão, nem a aceitar o inaceitável, como violência. Porém, propõe a aceitação de características de personalidade e situações da vida que não mudarão, ou os próprios processos internos diante de situações com o cônjuge. A IBCT é um tratamento para casais com uma significativa meta-pesquisa, documentada e baseada em evidências, mostrando sua efetividade. É definida pelo Instituto Nacional de Saúde Mental do governo dos Estados Unidos como um de seus tratamentos para casais.

O IBCT acredita que os problemas nos relacionamentos não surgem apenas das coisas que os parceiros fazem ou deixam de fazer, mas também da forma como reagem emocionalmente a essas ações. Por isso, o IBCT foca nas emoções dos parceiros e busca promover uma maior aceitação e intimidade entre eles, ao mesmo tempo em que trabalha para resolver os problemas específicos que estão causando dificuldades.

Como a IBCT funciona?

A IBCT considera vários aspectos que influenciam a dinâmica do casal. Primeiramente, são consideradas as principais diferenças entre os parceiros em termos de personalidade, interesses, objetivos e outros aspectos relevantes. Estas diferenças podem causar conflitos e dificuldades de comunicação se não forem adequadamente compreendidas e gerenciadas. Além disso, a IBCT também se concentra nas sensibilidades ou vulnerabilidades emocionais que cada parceiro traz para o relacionamento. Estas sensibilidades podem ampliar as diferenças entre os parceiros, pois influenciam a forma como cada um reage e lida com os conflitos e desafios do relacionamento. As circunstâncias externas, especialmente as estressantes, que podem agravar os problemas criados pelas diferenças e sensibilidades emocionais, também são consideradas. Questões como problemas financeiros, mudanças de vida, questões familiares e profissionais podem exercer pressão adicional sobre o relacionamento, tornando ainda mais importante uma abordagem terapêutica que leve em conta o contexto externo. Por fim, a IBCT analisa o padrão de interação que os casais estabelecem ao tentar lidar com os problemas. Muitas vezes, os casais podem cair em padrões de comunicação negativos, como críticas constantes, evitação de conflitos ou até mesmo comportamentos hostis. Identificar e modificar esses padrões de interação é essencial para promover uma comunicação mais saudável e construtiva no relacionamento.

A Estrutura de Avaliação e Tratamento da IBCT

Na fase de avaliação da Terapia Comportamental Integrativa de Casal (IBCT), o processo inicia com uma sessão conjunta com os dois parceiros, seguida de sessões individuais com cada um. O principal objetivo desta etapa é avaliar a adequação do casal para a terapia e, caso positivo, desenvolver a formulação do caso a partir da avaliação das áreas problemáticas e da disposição de cada um para colaborar. Além disso, o terapeuta orienta o casal sobre o processo terapêutico. Mesmo que o terapeuta de IBCT não intervenha ativamente durante a fase de avaliação, as primeiras sessões podem ter um impacto terapêutico significativo. Após as três sessões avaliativas, é realizada uma sessão de feedback, na qual a formulação do caso, os objetivos do tratamento e os procedimentos para alcançá-los são descritos aos clientes. Esses elementos são elaborados a partir das informações obtidas durante as sessões de avaliação e dos questionários, proporcionando aos parceiros uma visão do que podem esperar da terapia e esclarecendo quaisquer dúvidas. Após a aceitação do plano de tratamento, inicia-se a fase ativa da terapia, na qual o foco está em afastar os pares de seus padrões usuais de discussão disfuncional em relação ao outro, buscando uma discussão solidária, na qual os parceiros revelam seus sentimentos, são capazes de entender o outro e ter empatia por ele, e adotam um olhar mais analítico sobre seus problemas, discutindo mudanças concretas que cada um deles pode fazer para melhorar seu relacionamento, gerando uma resolução de problemas conjunta.

Diferenças entre IBCT e a TCCC

A TCCC tradicional dependia, para a sua eficácia, da capacidade dos casais de se acomodarem e colaborarem entre si e do foco em treinamentos comportamentais para visando a mudança. Conscientes de que muitos casais não poderiam fazer isso e que o conflito poderia ter efeitos positivos e negativos, Jacobson e Christensen desenvolveram o modelo para incorporar a “aceitação” como foco central para casais com diferenças irreconciliáveis. A TCCC se concentra na identificação e modificação de padrões de pensamento e comportamento disfuncionais. Já a IBCT vai além, incorporando a aceitação como um componente-chave do processo terapêutico. Enquanto a TCCC pode ser eficaz na resolução de problemas específicos, a IBCT visa criar uma base mais sólida para o relacionamento, fortalecendo a conexão emocional e promovendo uma maior compreensão entre os parceiros.

Pesquisas têm demonstrado a eficácia da IBCT na melhoria da satisfação conjugal e na promoção de relacionamentos mais saudáveis e adaptativos. Estudos comparativos com outras abordagens terapêuticas, como a TCC para casais, mostraram que a IBCT tem impacto positivo mesmo que a longo prazo.

Terapeutas de casais são profissionais treinados para oferecer suporte e orientação a casais em todas as fases de relacionamentos, desde aqueles em crise até aqueles que desejam melhorar ainda mais seu convívio. Portanto, o melhor momento para procurar terapia de casal é quando vocês sentem que isso pode beneficiar seu relacionamento e estão dispostos a investir nessa jornada de crescimento e fortalecimento.

Referência bibliográfica:

Manual clínico dos transtornos psicológicos : tratamento passo a passo [recurso eletrônico] / Organizador, David H. Barlow ; tradução: Alexandre Salvaterra ; revisão técnica: Antonio Carlos Scherer Marques da Rosa, Elisabeth Meyer. – 6. ed. – Porto Alegre : Artmed, 2023.

Christensen A, Doss BD. Integrative Behavioral Couple Therapy. Curr Opin Psychol. 2017 Feb;13:111-114. doi: 10.1016/j.copsyc.2016.04.022. PMID: 27822489; PMCID: PMC5096782.

Psicologia, Relacionamento e Sexualidade

Artigos Relacionados

Conheça 9 técnicas da TCC utilizadas para melhorar sua saúde mental
Conheça o poder transformador da Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) enquanto exploramos nove técnicas dinâmicas projetadas para melhorar sua saúde mental. Descubra como esta terapia de curto ...
Mais informação →
Deixe para Trás Comportamentos como Roer as Unhas, Arrancar os Cabelos e Machucar a Pele: Conheça a Terapia de Reversão de Hábitos
Descubra como a Terapia de Reversão de Hábitos pode ajudar a deixar para trás comportamentos como roer as unhas, arrancar os cabelos e machucar a ...
Mais informação →
O que acontece durante a terapia sexual?
A terapia sexual oferece um ambiente seguro e acolhedor para indivíduos e casais abordarem desafios íntimos e alcançarem uma vida sexual mais satisfatória. Neste artigo, ...
Mais informação →